5 erros que você deve eliminar no seu LinkedIn em Inglês

0

Você tem o perfil do LinkedIn na língua inglesa, e quer se candidatar para as vagas no exterior, mas será que você está com o perfil adequado e vai chamar a atenção dos recrutadores?

11899848_504204826424359_2634228100521290037_n

Primeiramente vamos ressaltar que o LinkedIn é a maior ferramenta de recolocação profissional para quem está procurando novas oportundiades no mercado de trabalho e de acordo com o site Business Insider, essa rede gigantesca já ultrapassou 364 milhões de usuários em todo o mundo.

Segundo dados recentes da Exame carreiras, só no Brasil nesse ano de 2015, os perfis ativos no LinkedIn são de aproximadamente 20 milhões de Brasileiros, perdendo apenas para os EUA e India.

Mas, posso garantir que aqui no continente Europeu ele também faz muito sucesso e a maioria das empresas multinacionais utilizam o portal para complementar o processo de recrutamento e seleção entre os candidatos.

No geral, manter o perfil atualizado no LinkedIn não dá trabalho, pois ele é muito prático, porém se você quer tê-lo também na versão inglesa, existem algumas regras básicas para melhorar a sua estratégia de marketing pessoal e atingir o seu objetivo na busca de uma vaga internacional, veja os detalhes:

1) Não use apenas ferramentas de tradução online

É muito comum encontrar no LinkedIn currículos de Brasileiros que utilizam o Google Translator para traduzir as informações do Português para o Inglês, mas saiba que esse procedimento é erradíssimo, pois este tipo de ferramenta ou qualquer outra similar que faz tradução automática não realiza a explanação corretamente, ao contrário muitas palavras e frases além de perderem o sentido, podem também ter outro significado na concordância verbal.

O método mais sensato é solicitar uma tradução personalizada à uma empresa de tradução ou então pedir a ajuda daquele amigo fluente para corrigir os termos técnicos e demais erros de gramática.

2) Evite copiar textos do CV e escrever demais

Não adianta copiar e colar todas as informações que você tem no CV para o LinkedIn, pois muitas vezes isso perde o sentido, uma vez que o objetivo desta plataforma é bem diferente usando uma linguagem própria e resumida, justamente para ser prática nas atualizações futuras.

Seja breve, sem muitos rodeios pois na Língua Inglesa não é necessário explicar “tim-tim-por-tim-tim”, até porque isso será parte da entrevista pessoal e não no momento da análise online pelo setor de Recursos Humanos.

Foque nas palavras-chave da área que você está procurando oportunidade, ressalte as suas competências, pois além delas atraírem a atenção dos recrutadores elas são fundamentais para a busca no site. Certifique-se que a termologia está dentro do padrão, pois na Língua Inglesa muitas funções e posições de trabalho são diferentes da Língua Portuguesa, em especial, do mercado Brasileiro.

3) Não deixe os nomes das Instituições que você estudou e das empresas que trabalhou anteriormente sem link

Você tem que ser o mais claro possível no LinkedIn e mostrar evidências que teve um histórico educacional em sua terra natal. O campo “educação” pode ser preenchido com dados desde o seu colégio, algum curso profissionalizante que fez e/ou curso Universitário que completou, aliás caso você tenha formação superior é essencial que ela esteja em destaque, pois em algumas vagas ela é o diferencial que pode te garantir a vaga que deseja.

Verifique se nesse campo você consegue encontrar o logo e site dos locais, é muito simples, basta clicar no preenchimento automático que o LinkedIn sugere, caso não apareça, você tem a opção de colocar um link do site da Instituição/Empresa, ou em último caso, insira uma foto do local citado. Atenção com a nomenclatura dos cursos que foram feitos no Brasil, alguns níveis são diferentes no mundo afora, é necessário checar a forma mais plausível de exibir os certificados.

4) Mencione trabalhos paralelos e atividades extra-currículares

Assim como o Brasil, e em outros continentes na Europa, por exemplo, você apresentar participações em projetos voluntários, causas sociais, manifestações, trabalhos comunitários e demais eventos é uma forma de revelar um pouco mais da sua personalidade e identidade fora do trabalho. Complete os itens dessa categoria pois as mesmas são válidas para integração com os Recrutadores, logo as suas possibilidades de conexão e sintonia com os demais profissionais na rede tende a aumentar.

O mesmo acontece para atividades extra-currículares, cite qualquer curso que tenha feito por hobby ou até mesmo como aperfeiçoamento em alguma área que atue. É muito importante mostrar que você tem referências intelectuais, nas quais ampliam os horizontes e te dá um leque de opções no mercado de trabalho, pois não se esqueça que você fora do Brasil pode começar a trabalhar em uma posição bem inferior a sua função atual no território Brasileiro ou de repente você poderá trabalhar em uma área que não tenha co-ligação nenhuma com a sua trajetória profissional atual, então, aponte essa sua flexibilidade aos recrutadores.

5) Perca o medo de participar de grupos, discussões, posts e anúncio de emprego em inglês

Não é só porque você deve comentar escrevendo na língua inglesa que você vai amarelar, verdade?

É vantajoso ter participações ativas nos debates, deixar algum comentário pertinente em uns dos artigos que tenha lido e gostado,  curtir posts nos grupos e compartilhar informações úteis entre as suas conexões. Isso te deixará mais visível e além do mais você pode encontrar alguma notícia extra e até mesmo relevantes sobre a área que você está procurando, então vale a pena enfrentar o medo e escrever simples frases de uma maneira gentil. O que você precisa ficar atento é em não usar muito “phrasal verb” e “street language” pois não se esqueça, LinkedIn não é Facebook!

Tenho certeza que com as 5 regras básicas acima, você se conectará com pessoas aleatoriamente, e não necessariamente precisa ser do país que você sonha em trabalhar ou que seja um nativo em inglês, mas o importante é manter o “networking” com pessoas que tenham algo em comum com você, sendo ela em alguma área de atuação, interesses profissionais ou até mesmo uma inspiração, pois ter em nosso ciclo pessoas nas quais admiramos acelera a nossa vontade de crescer profissionalmente.

Good Luck!

Por: Daniela Bernardes Loyola O’Connor

***

Daniela é formada, pós-graduada na Administração Hoteleira, tem Mestrado em Gestão de Serviços, é blogger, especialista em Social Media e HR Digital na Europa e Brasil.

Share.

About Author

Formada e pós-graduada na Administração Hoteleira, tem Mestrado em Gestão de Serviços, é blogger, especialista em Social Media e HR Digital na Europa e Brasil.

Leave A Reply