Inovar nas realizações e criar sem medo – Entrevista com Juliano Kimura

0
  • Carreira

Nessa semana puxei o meu banquinho para conversar com o Juliano Kimura, um cara super gente boa e que manja muito dos paranauê das internets. Embaixador do ProjectHub e CEO do Trianons, Juliano decidiu estudar e trabalhar com marketing. Teve uma pequena transição desde quando trabalhava com games, até mergulhar mesmo nas redes sociais e inovação digital. Segundo Juliano, “o mercado de games tem uma forte relação com o mercado de redes sociais e inovação digital. Muitos avanços e técnicas de vanguarda são realizadas primeiro nesse mercado de entretenimento digital.”.

Juliano também é palestrante e professor. Ele fala que não há muita diferença, pois o que mais difere são os momentos entre eles. “Me tornei professor por consequência porque sempre tive pessoas que me inspiraram a isso e aprendi muito com meus mestres. Se informação não gera ação, ela apenas informa. Eu tenho uma preocupação muito grande em passar um conhecimento verdadeiramente transformador.E para quem está começando, sua dica é ser apaixonado pelo que faz, sempre! “Focar no objetivo pode te desviar do que realmente importa, o trajeto.  Uma dica é fazer, testar e realizar. Não ficar parado e mostrar sua cara sem medo.”

11822832_1084810044881292_1488857538197639592_n

Créditos na foto

  • Facebook

Já que ele foi consultor da Mhconsult, que prestou serviços para o Facebook Brasil como palestrante e especialista em conteúdo, não pude deixar de perguntar sua experiência por lá: “Um escritório de dar inveja e uma estrutura impecável. As pessoas são pessoas. Há pessoas geniais e outras nem tanto. Foi uma grande responsabilidade palestrar inúmeras vezes pelo Facebook. Ser responsável por tantos treinamentos e passar um conhecimento útil para as pessoas foi uma missão que abracei com paixão.”

Relacionado a publicidade e as marcas no facebook, ele fala que é um processo normal essa evolução da publicidade dentro da plataforma, apesar de o foco ser essa publicidade cada vez menos invasiva para os usuários. Quanto as interações, ele fala de uma comunicação bidirecional que as marcas estão aprendendo a utilizar e onde elas mais erram é quando não arriscam: as pessoas e as marcas tem voz, ambas precisam e devem se comunicar.

12027648_1114845835211046_2589340887743356627_n

Créditos na foto

  • Criatividade

Para finalizar, Juliano fala que para criar é preciso conectar recursos com aplicações. “Não existe uma grande inspiração, mas sim um grande repertório de ferramentas e recursos que fazem parte do meu acervo pessoal. Esse acervo é minha grande inspiração. Se você quer ser mais criativo, aumente seu repertório.”

Seguindo a teoria do Creative Thinking, que possui regras, possui valores e essência, “a construção de algo novo depende de alguns fatores que influenciam na capacidade criativa de cada pessoa. Quanto mais recursos o indivíduo possui, mais possibilidades ele tem. Em consequência, essa pessoa é considerada mais criativa. Somando seu repertório com aplicação e ausência do medo.”

Daqui há vinte anos, ele pretende estar ensinando os mais jovens sobre como pensar sozinhos, criando novas teorias e mudando a forma como as pessoas aprendem!

Valeu, Juliano! Adoramos conhecer um pouco mais do teu trabalho.

Agradecemos a entrevista.

Quer acompanhar  o Juliano pelas redes sociais? Acessa lá:

➡ Site

➡ Facebook

➡ Soundcloud

Share.

About Author

Gaúcha, 23 anos. Estudante de Publicidade e Propaganda, vivo em São Paulo, mas amo o Rio de Janeiro. Comunicativa, adoro ter amigos perdidos em vários cantos do país. Viciada em redes sociais, gosto sempre de estar conectada com o mundo. Chega mais, vamos conversar ;)

Leave A Reply