Pimp My Pasta: o projeto para ajudar você a vender seu peixe

0

Se eu pudesse dar uma dica para quem está ingressando no mercado publicitário hoje, aquela matadora de verdade, essa seria: monte a sua pasta já.

Uns a conhecem por pasta, portfólio ou até mesmo filho(a), cada um escolhe o nome que quiser, só não pode escolher não ter uma. É mais que um currículo ou seu cartão de visita. Para quem escolhe trabalhar na criação a pasta é uma amostra do seu trabalho, da suas habilidades e como você é.

Para a sua sorte, diferente de como era a alguns anos na época dos monstros da publicidade brasileira, você não precisa criar ela impressa com todos os seus anúncios. Basta um site para hospedar que possa ser compartilhado e acessado remotamente e pronto, você tem uma pasta para colocar o seu peixe.

Até aqui tudo bem, o problema começa quando você se depara com o óbvio: “eu nunca montei uma pasta na vida”. Então, aqui vai outra dica simples: aprenda com quem faz. Procure ver como os criativos do mercado criaram as deles, não tem forma melhor de aprender, vai por mim.

A segunda vez que você leva a sua mão de encontro à testa é quando descobre que deixá-la com uma cara profissional não é uma tarefa lá muito fácil. Entender todas aquelas funcionalidades dos sites, o que é grátis o que é pago, o que é só um click e o que necessita de programação para ficar tão bom quanto aquele Diretor de Arte ou Redator que saiu no anuário.

Foi pensando nesse cenário que surgiu o projeto Pimp My Pasta. Uma consultoria de como montar uma pasta filézera, criado pela Diretora de Arte Camilla Ciappina, após comentar com alguns amigos de como seria bom se existisse um salvador nessa momento aflitivo. E para ela que já gostava de fuçar em sites, principalmente o Cargocollective o mais usado pelos por essas bandas, foi uma mão na roda, ou melhor, na massa.

Para a criação dessa ideia genial, ela ainda fez uma pesquisa de mercado com seus colegas de trabalho e de curso e não deu outra: todos gostariam de melhorar a pasta, só não sabiam como.

“Já mostrei muita pasta por aí, virou uma rotina que gosto bastante. Assim, aprendo como os profissionais gostam de ver uma pasta e qual a melhor maneira de ser apresentada.” conta Camilla.

Juntou a fome com a vontade de comer. O projeto conta com uma página no Facebook onde é publicado diariamente dicas valiosas para quem está começando ou quer dar aquele upgrade.

“A página é bem recente, mas já consegui ajudar 7 pessoas em apenas três dias de funcionamento, o que já me deixou bastante empolgada em continuar”. conta Camilla. Para conhecer mais sobre o projeto e ajudar ele a crescer é só acessar: https://www.facebook.com/Pimpmypasta.

Agora, se mesmo assim você não conseguir emplacar uma vaga com a sua pasta nova em folha o problema pode ser os anúncios, mas isso é assunto para um outro post.

Share.

About Author

Redator publicitário, 25 anos. Viciado em tentar ser engraçado e patinador de final de semana. Amante de bons filmes e bons livros. Daquele tipo de pessoa que fala mais que a boca e escreve quando não dá para fazer o anterior.

Leave A Reply