Caminhando e cantando, e seguindo a canção

0

Dessa vez, puxei o meu banquinho para um bate papo por telefone com a entrevistada da semana. Conversei com minha conterrânea Raquel Brust, uma jornalista com especialização em fotografia e uma das idealizadoras do projeto “Cantando na Rua” juntamente com Fabíola Fera, arquiteta especializada em design de interiores. Elas já trabalhavam juntas em alguns outros projetos, quando surgiu a ideia de juntar os posters que a Fabíola já fazia com decorações de interiores com essas intervenções urbanas da Raquel.

2

Raquel, desde 2008 tem um projeto de intervenção urbana com fotografia hiperdimensionadas com objetivo de experimentar uma exposição que reage a arquitetura e interage com os cidadãos, chamado Giganto. Ou seja, já tem algum tempo que ela gosta de compartilhar o seu trabalho por aí.

Em paralelo com esse seu projeto, Raquel e Fabíola decidiram fazer mais: algo que não somente chamasse atenção do público, mas que também os deixasse felizes. A partir disso, nasceu o Cantando nas Rua, que hoje conta com diversos posters não somente em alguns pontos em Porto Alegre, mas também em São Paulo, Brasília e até mesmo em NY.

NY

“Raquel, e de onde veio a inspiração?” Ela, deixou Porto Alegre há 11 anos atrás e atualmente mora em São Paulo. Lá as paredes “falam”, literalmente. Frases de amor, frases poéticas e inspiradoras são muito fáceis de encontrar. Mas, como introduzir mais uma intervenção urbana e mesmo assim ser diferente? Nada mais justo do que a música. “Ela faz parte da nossa rotina, das nossas histórias, de momentos da nossa vida e não saem da nossa cabeça, nunca. Aliás, se você der uma pausa na leitura, deve estar com alguma música na cabeça, não é?!”

3

As músicas selecionadas? Um leque de opções: De Tom Jobim a Daniela Mercury, passando por Caetano Veloso, Gilberto Gil, Zeca Baleiro, Luis Caldas, Vinicius de Moraes, Cidade Negra… A lista já é grande, viu? Segundo Raquel, “alguns trechos são inspiradores, fazem as pessoas seguirem em frente e até mesmo mudar seu humor” Aqui em Porto Alegre, há várias músicas de bandas gaúchas, como Bidê ou Balde, Kleiton e Kledir e Graforréia Xilarmônica e que falam um pouco mais sobre a nossa cidade. A ideia é que posters de músicas de diferentes cidades também sejam espalhados por elas, para maior identificação do público.

1

Os posters são colados em lugares bastante movimentados pelos pedestres e a ideia é que eles tenham alguma ligação e percorram um caminho inteiro “caminhando e cantando, e seguindo a canção”.

Curiosas, a cada colagem uma nova surpresa e emoção por parte das pessoas. Segundo Raquel, a parte das colagens são as mais legais de se fazer. Quando perguntou ao seu sobrinho o que ele estava fazendo ao colar um poster, logo a resposta: “Eu não sei muito bem, mas isso deixa as pessoas felizes”.

– Raquel, tenha a certeza que cada canto da cidade fica mais bonito quando encontramos um poster do Cantando na Rua. Que os posters se espalhem por esse mundão a fora.

Sucesso para projeto, gurias! Agradecemos muito o bate papo.

Share.

About Author

Gaúcha, 23 anos. Estudante de Publicidade e Propaganda, vivo em São Paulo, mas amo o Rio de Janeiro. Comunicativa, adoro ter amigos perdidos em vários cantos do país. Viciada em redes sociais, gosto sempre de estar conectada com o mundo. Chega mais, vamos conversar ;)

Leave A Reply