Te desafio a tentar algo novo

0

OW_WoL9fsDfpVUxWsYrU06GR4UCOuZ1GdJL4jvWoP7c

Não importa quantas teorias você cria, o quanto você se protege para não errar, quantos conselhos você segue ou o quanto você se poupa.

Você nunca vai entender o que é viver se não apreciar a vida, ela só se mostra bela para quem atua nela.

Se engana quem acha que quem marca em seu laudo quando nosso corpo deixa de reagir que esta marcando quando deixamos a vida.

Viver vai muito além de O2 no organismo, não tem nada mais clichê e verdadeiro do que aquela frase “A vida não é quantas vezes você respira, mas sim quantas vezes te tiraram o fôlego”.

E não é mesmo, não tem nada a ver com quantas batidas por segundo seu coração faz, porque é quando seu coração acelera por algo, ou alguém, ou quando se tem a sensação que ele parou de bater, é que se começa a viver.

A gente não entende, queremos apenas os momentos considerados bons. Só queremos coisas doces, temos um paladar infantilizado para a felicidade, demoramos a entender que apreciar algo amargo, agridoce ou azedo, além de delicioso pode ser uma nova experiência.

Uma criança não vai entender a graça de um chocolate amargo, o sabor da vida.

Algo tão bom e ao mesmo tempo não tão doce, nem todo mundo gosta, nem todo mundo entende, mas quem aprecia, aproveita e chega a uma enigmática catarse. E poucos a encontram.

Doce demais enjoa. Doce sempre enjoa. A ausência de um sabor confortável é necessário.

É preciso coragem para experimentar o amargo e sabedoria para entender que ele pode não ser doce, mas pode levar a outro patamar de sabor.

Share.

About Author

Gaúcha, 23 anos. Estudante de Publicidade e Propaganda, vivo em São Paulo, mas amo o Rio de Janeiro. Comunicativa, adoro ter amigos perdidos em vários cantos do país. Viciada em redes sociais, gosto sempre de estar conectada com o mundo. Chega mais, vamos conversar ;)

Leave A Reply